23.09.07

In The Sun,coldplay

publicado por hanna às 21:55

Acordei já passava do meio dia.São neste momento nove e meia da noite.Conclusão:Nove horas e meia a conviver com os meus pais esta a dar comigo em maluca.Sei que fica mal dizer isto.que é politicamente incorrecto.Mas é a verdade.Será que ninguém percebe que eu só quero paz,sossego,descanso,sofá,pijama..SILÊNCIOOO????

Não me apetece sair.O meu pijama hoje está-me a saber tão bem...mas também não me apetece ficar e ouvir o blá blá blá caracteristico..Mais uma vez sei que fica mal dizer isto.Que é politicamente incorrecto.Mas mais uma vez é a mais pura das verdades.E este é um dos rastos que trago da minha adolêscencia:a má relação com os meus pais.A falta de comunicação.A falta de paciência.As discussões.A maioria das pessoas têm uma optima relação com os pais,as meninas veêm na mãe uma das melhores amigas,os rapazes no pai o companheiro.Eu não sou assim.A minha mãe não sabe nada sobre mim..ou melhor sabe.Sabe o meu nome,a minha data de nascimento essas coisas básicas e que ela têm mesmo que saber.De resto não sabe nada de mim,como sou,do que gosto,de quem gosto.Não falamos muito e geralmente quando o fazemos é para discutir.Em pequena achava que ela pura e simplesmente não gostava de mim.Agora já não penso assim.Agora parece que tenho um escudo contra os problemas cá em casa.Não me importo muito com o que dizem,porque o dizem,se o dizem,se gostam ou não.Mais uma vez não fica bem dizer isto ams mais uma vez (adivinhem lá o que é que eu vou dizer....) é a verdade.Gosto dos meus pais.Todos gostamos não é?Mas eu é quase um carinho inato.E um carinho que diga-se já foi maior.São anos e anos de coisas que não se contam.De discussões que não matam mas moem.Quando chego em  casa á noite,meto a chave á porta e entro em casa,lhe sinto o cheiro o meu primeiro pensamento é a minha irmã.O meu maior amor.Ela.Companheira de anos.Quem melhor me conheçe.Quem mais gosta de mim.Os pais passaram para  segundo plano.Cada vez mais anseio por um espaço meu.Por sossego,paz.E as vezes quando me perguntam ( ou quando não perguntam mas eu penso simplesmente no assunto) qual ou quais são os meus maiores objectivos de vida uma das primeriras coisas que me vêm á cabeça é isto:paz e sossego.

publicado por hanna às 21:31

O que fazer ao ser que ,mesmo sem o nosso conhecimento ou consentimento, empresta um dos nossos maiores tesouros,leia-se os três packs da "anatomia de grey"??E empresta assim todos de uma vez...Mesmo sabendo que esse ser é minha irmã,sangue do meu sangue,uma das pessoas que mais adoro no mundo e tal...devo confessar que a minha vontade de lhe bater é grande.

 

publicado por hanna às 16:39

Swimming Pool de Francois Ozon

 

 

Scoop de woody allen

 

Programa para a tarde(ou para o resto dela)

 

publicado por hanna às 16:12

A  entrevista de Inês Pedrosa á revista do Público.

 

"Quem não tem uma arte o que é que faz á dor?Eu sei sempre o que faço,transformo em escrita".Inês Pedrosa.

publicado por hanna às 16:07

Espectáculooo!

Chris Brown nos vma 2007

publicado por hanna às 15:34

Viro-me na cama.Abro o telémovel e dou uma vista de olhos.São 11:45.Viro-me para o outro lado.

"-É domingo.Estou de folga."

Sorriso.

publicado por hanna às 15:31

Bilhetinhos a falar de amor,sorrisos e beijos na carteira.

 

 

(Lost in translation...pois.parece que sim..)

 

Foto:Scarlett Johansson

publicado por hanna às 15:21

  "Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos, presentes não são promessas. E não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-te de vez em quando e precisas de perdoa-la por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destrui-la, e que podes fazer coisas num instante, das quais te vais arrepender pelo resto da vida. Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que tu tens na vida, mas quem tens na vida. Descobres que as pessoas com quem mais te importas na vida, são tiradas de ti muito depressa. Aprendes que paciência requer muita prática. Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não dá o direito de seres cruel. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém. Algumas vezes, tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, tu serás em, algum momento, condenado. Aprendes que não importa em quantos pedaços teu coracao foi partido, o mundo não pára para que o consertes. E, finalmente, aprendes que o tempo, não é algo que possa voltar para trás. E percebes que realmente podes suportar... que realmente és forte, e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor, e que tu tens valor diante da vida!"


[Shakespeare]
Achado aqui:http://assim_sou_eu.blogs.sapo.pt/

publicado por hanna às 15:07

 

Don't stop the music-Rihanna

[de novo a imensa  vontade de dançar...??]

publicado por hanna às 00:28

"Há muito tempo que me divirto com o poder de observação e a forma inteligente e sarcástica com que as meninas de O Interno Feminino procedem à demolição das idiossincrasias do género masculino.

E, atento, venerando e respeitoso, não tenho nenhuma dúvida de que elas são distintas generalas na eterna “guerra dos sexos”.

Mas, amiguinhas, deixem-me que vos diga que é como chover no molhado.

Vocês, e as mulheres em geral, podem criticar, carpir, arrancar cabelos, lamuriarem-se, baterem, arrasarem os pobres machos, esses brutos, grunhos, insensíveis e, pasme-se, às vezes até peludos. Podem até usar todas as técnicas psicológicas, truques de sedução e todo o poder imenso que detêm sobre os homens (sim é verdade, a maioria de nós não consegue irrigar duas cabeças ao mesmo tempo), porque o resultado final, em termos práticos, é nulo.

Reparem que para cada argumento vosso corresponderá um nosso. Isto se conseguirmos entender exactamente do que é que vocês estarão a falar.

O facto é que ninguém, nunca, ganhará esta guerra.

Homens e mulheres têm uma estrutura mental diferente e incompatível, que não tem só a ver com a educação, eles simplificam demais, elas complicam demais.

E se temos a experiência de décadas que nos diz que andamos a errar em algum lado, porque será que não mudamos de técnica, hun?

Na minha opinião, vocês cometem dois pecados capitais.

a) Como é que se pode conviver de forma simples, amena e descontraída com um bicho que nunca afirma o que sente, pensa e quer, que espera de nós, homens, que sejamos simultaneamente másculos, afirmativos, guerreiros e… sensíveis, intuitivos, românticos, hiper pacientes, profundos, descodificadores, numa palavra, bruxos?

Isso, minhas amigas, vocês nunca vão conseguir. Não porque nós não queiramos, sim porque a generalidade de nós pura e simplesmente não traz de origem os componentes necessários, não fomos fabricados para funcionar dessa forma.

b) Associem isso a outro enorme erro feminino, o confundir sexo com amor.

Vão por mim, enquanto essas lindas cabecinhas não descerem à terra e abrirem os olhinhos para a realidade, vão sempre achar-se usadas e abusadas por esses filhos da mãe sem coração que “são todos iguais e querem todos o mesmo”.

Meninas, claro que há paixões, emoções e amor, mas na maioria dos casos o que há mesmo é auto-ilusão.

As mulheres continuarão a fazer sexo para obterem amor e os homens a declarar amor para obterem sexo [não, TNT, isto não se aplica a ti, sim à maioria : )].

Em resumo, contenham a vossa paixão por esse desporto de massas feminino que é o examinar e interpretar meticulosamente as quinhentas hipóteses que podem explicar ele ter ido dormir metade da noite para a sala por estar cheio de calor, sejam directas e verdadeiras quando falam com os homens (eles raramente atingem mais do que isso) e em verdade vos digo que nos entenderemos melhor e seremos todos muito mais felizes.

O que não quer dizer que, mesmo assim, O Interno Feminino deixe de ter razão de existir, já que há diferenças insanáveis entre os géneros.

E ainda bem, digo eu."

Aqui:http://internofeminino.blogs.sapo.pt/

 


publicado por hanna às 00:08

Continuando a derreter o gelo...
mais sobre mim
Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12

17
18

25
27
28



arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO